Blog

Tecnologia desenvolvida por brasileiro restaura funções cerebrais perdidas

Por: Henrique Cesar
19/08/2022 – 12h55

Inovação permite o tratamento da Esclerose Múltipla, do Alzheimer e do Parkinson.(Foto reprodução Internet)

 

Marc Abreu, médico brasileiro especialista em termodinâmica cerebral e frequências termorregulatórias, desenvolveu uma nova tecnologia de tratamento focada na indução de proteínas de choque térmico para pacientes afetados por doenças neurológicas como Esclerose múltipla, Alzheimer e Parkinson. O profissional da área de saúde. formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), elaborou o Túnel Térmico Cerebral, na Universidade de Yale, no Estados Unidos, onde patenteou o sistema como Abreu BTT 700. O sistema foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA), órgão americano regulador semelhante a ANVISA no Brasil. Segundo Marc, a descoberta poderá não só tratar como também prevenir inúmeras doenças em nível molecular. A tecnologia, baseada na termodinâmica do cérebro, para o pesquisador, tem um potencial único. 

Jéssica Martani, médica psiquiátrica, pesquisadora brasileira, com especialização na Universidade de Columbia, em Nova Iorque, explica que diversas doenças neurodegenerativas ocorrem pelo depósito de proteínas no cérebro que fica danificado. “A doença de Alzheimer, por exemplo, constitui-se de alterações em proteínas chamadas beta-amiloide e Tau. Na doença de Parkinson, observa-se os corpos proteicos de Lewy que se espalham de forma lenta e progressiva e causam danos e morte das células do tecido nervoso, acarretando o desaparecimento de neurônios dopaminérgicos, proporcionando alterações nos movimentos”, ela explica. 

Marc Abreu afirma  que, diferente dos tratamentos convencionais medicamentosos, o tratamento através do BTT, sigla que seu sistema recebeu nos Estados Unidos, não é invasivo e tem como base aspectos da física. “Nosso cérebro conhece padrões, a temperatura é um número e a termodinâmica são os padrões e oscilações. Essa é a linguagem do cérebro, uma vez que você consegue entender essa linguagem, consegue ativar essas proteínas através de uma indução que vai a altíssima temperatura, mas sem nenhum risco. A máquina é feita para chegar a essa altíssima temperatura e o paciente pode ficar exposto por horas até”, conta o especialista. 

A técnica levou 15 anos para ser desenvolvida e tem sido aplicada em centenas de pacientes nos Estados Unidos, tanto em ensaios clínicos quanto em tratamentos hospitalares. Os resultados são satisfatórios e têm trazido benefícios como a recuperação da capacidade motora e cognitiva, além de impactar nas áreas afetadas pelos quadros neurodegenerativos. “Os pacientes em tratamento tiveram recuperação total das funções perdidas. Não é o tratamento simplesmente para impedir a progressão, é uma terapia para reverter o processo, restaurar a função cerebral. Recentemente, um paciente brasileiro de 88 anos com Alzheimer e Parkinson, voltou a andar e a falar. É possível restaurar as funções do cérebro que foram perdidas uma vez que haja essa indução da proteína de choque térmico”, completa o médico. 

Esse foi o caso de Lilian Barbosa, de 34 anos, que foi diagnosticada com Esclerose Múltipla em 2013 e conta que sua recuperação se deu graças ao tratamento, “Eu vinha combatendo essa doença há muitos anos. Depois que tive minha primeira filha, a situação agravou bastante, comecei a ter vários relapsos de uma hora pra outra. Chegou ao ponto que eu não conseguia caminhar normalmente, perdi o movimento das minhas pernas […] Foi a melhor coisa que eu fiz, depois do tratamento consegui retomar o movimento das pernas, caminhar melhor, andar de bicicleta que era algo que eu tinha muita dificuldade antes”. Desde o início do tratamento, a paciente não teve novos indícios de perda de movimentos. 

Não há previsão de chegada do tratamento no Brasil, porém investimentos já são realizados para que isso se torne possível o quanto antes para que, não só o Brasil, como também outros países, passem a utilizar o Túnel Térmico Cerebral de Marc Abreu. 

 

Referências bibliográficas: 

CNN. Tecnologia de choque térmico pode restaurar a função cerebral de pacientes com doenças neurológicas? Disponível em: https://www.progresso.com.br/tecnologia/tecnologia-de-choque-termico-pode-restaurar-a-funcao-cerebral-de/393678/. Acesso em: 18 de agosto de 2022. 

SOUZA, Jéssica. Alzheimer, Parkinson, Esclerose. Tecnologia Brasileira restaura funções cerebrais perdidas. Disponível em: https://www.sonoticiaboa.com.br/2022/08/17/alzheimer-parkinson-esclerose-tecnologia-brasileira-restaura-funcoes-cerebrais. Acesso em: 18 de agosto de 2022. 

> Voltar

© Copyright 2018 - Rádio Rio de Janeiro

Tsuru Agência Digital
Desenvolvido pela