Blog

Jogos Olímpicos vão ter medalhas produzidas com lixo eletrônico reciclado

Adriano Dias
22/07/2021 – 15:21h

Organizadores explicam que os produtos são originários de placas de computador e aparelhos de celular.

 

Organizadores explicam que os produtos são originários de placas de computador e aparelhos de celular.

Os amantes dos esportes olímpicos estão tendo novamente a oportunidade de trocar o dia pela noite – ou até mesmo, pela madrugada. Isso porque os Jogos Olímpicos estão acontecendo na cidade de Tóquio, no Japão. O encontro da nata do esporte mundial segue até o dia 8 de agosto.

Diferente do que presenciamos até os Jogos ocorridos na cidade do Rio de Janeiro, em 2016, os atletas de todas as modalidades vão ter um desfalque significante: a dos torcedores. Isso porque o evento acontece no momento em que o mundo ainda enfrenta as consequências da pandemia da Covid-19 e as autoridades locais optaram por vetar a presença do público nos locais que vão receber os jogos. Com essa necessária medida, o público não poderá presenciar a entrega das medalhas que, nesta edição, vai ter um componente importante na produção deste elemento desejado por todos os atletas dos jogos.

Medalhas de material reaproveitado

Aqueles que tiverem a oportunidade de subir ao pódio, tantos nos Jogos Olímpicos, como nos Paralímpicos vão ter a sensação de carregar medalhas 100% produzidas com metais reaproveitados do lixo eletrônico. Todos os dispositivos, como celulares e PCs, foram desmontados com a intenção de utilizá-los, seja essa medalha de ouro, prata ou bronze. De acordo com os responsáveis, esses equipamentos são oriundos das placas de circuito.

Para atingir o patamar de 5.000 medalhas para esta edição, os responsáveis pela organização trabalharam para juntar uma quantia significativa de lixo eletrônico. Tantos os smartphones, como os PCs apresentam pequenas quantidades dos metais utilizados nas medalhas em suas placas-mães, que são a base para conectar outros itens. De acordo com os responsáveis do projeto, mais de 6 milhões de telefones celulares foram aproveitados e mais de 78 toneladas de computadores, tablets, monitores e outros aparelhos foram atingidos ou quebrados.

As medalhas pesam praticamente meio quilo, mas a composição de cada uma varia. Aquele que chegar ao ponto mais alto do pódio vai receber uma medalha de ouro produzia com 550 gramas de prata reciclada coberta por 6gramas de ouro, também reciclado. Já as de prata são produzidas com 550 gramas do próprio material e as de bronze possuem 450 gramas de bronze vermelho. Ou seja, vamos ver comemoração e conscientização em um único ato ao longo dos Jogos.

Processo de reciclagem eletrônica

De acordo com os especialistas, essa caminhada se inicia com a coleta ou recebimento do material. Após essa etapa, os aparelhos são desmontados por um processo chamado manufatura reversa, que é o movimento inverso ao de uma linha de montagem. Cada material é classificado. Quando o próprio pode ser aproveitado, ele é encaminhado para isso.  A partir daí, material recolhido passa para o processo reduzido por trituração ou compactação para minimizar os custos com transporte.

Um levantamento divulgado pela ONU aponta que o Brasil lidera a produção de resíduo eletrônico na América Latina. De acordo com o estudo, anualmente, são produzidas 1,5 milhão de toneladas de lixo, com apenas 3% dele coletado de maneira adequada.

Veja também: Projetos que protegem tartarugas no RJ vencem prêmio mundial de sustentabilidade

> Voltar

© Copyright 2018 - Rádio Rio de Janeiro

Tsuru Agência Digital
Desenvolvido pela